VIVER (CON)VIDA

November 22, 2015

 

Ao pensarmos na palavra e no significado de vida, certamente que cada um de nós fará um juízo de valor, mediado operativamente pelas suas experiências pessoais e pensamentos, pelos contextos em que se inserem ou crescem, e, ainda, pelos seus valores, marcando profundamente uma identidade, personalidade e uma forma social de viver.

É neste âmbito e sabendo hoje que são as crianças aquelas que mais sofrem com a forma de vida da nossa sociedade, pelo stresse, violência, negligência ou outros fatores e consequentemente a sua vida futura será mais ou menos sadia ou até doentia, que devemos nós adultos e agentes cuidadores, pensar o quanto somos responsáveis pelo futuro delas e pela sua essência de ser.

Por vezes é doloroso observar crianças e mesmo adultos, a desperdiçarem oportunidades de vida ou vidas cheias de oportunidades, porque não conseguem psiquicamente vencer medos, conflitos, porque têm baixa auto-estima e auto- conceito negativo ou ainda por outros fatores patológicos bem diferenciados e distintos.

Encarar, reconhecer, esperar pela nossa melhor capacidade de resiliência e recorrer a ajuda, são sem dúvida passos a ter em conta, por forma a minimizar ou dissuadir problemas, para depois pensar, que devemos é agarrar as âncoras que nos prendem à vida, agradecer a oportunidade que nos foi dada e molda-la por forma a vive-la com toda a força e intensidade.

                                                                                                                                  Psicólogo Clínico

Rui Amorim

Please reload

December 20, 2015

November 22, 2015

November 22, 2015

Please reload

PSICOLOGIA CLÍNICA - DESENVOLVIMENTO HUMANO-  FORMAÇÃO COMPORTAMENTAL